DA SUSPEITA AO DIAGNÓSTICO DE CÂNCER INFANTOJUVENIL: A EXPERIÊNCIA DE FAMILIARES EM SERVIÇOS DE SAÚDE

Palavras-chave: Câncer infantojuvenil, família, assistência à saúde

Resumo

Este trabalho buscou compreender a experiência de familiares de crianças e adolescentes com câncer, nos serviços de saúde, desde os primeiros sinais e sintomas da doença até a comunicação do diagnóstico. Trata-se de um estudo qualitativo realizado com 20 cuidadores familiares de crianças e adolescentes que estavam em tratamento oncológico em um hospital público da Paraíba. Recorreu-se à entrevista semiestruturada para apreensão dos dados e à análise de conteúdo, do tipo temático, para a organização e análise dos resultados. O processo de análise permitiu a construção de três categorias temáticas: Em busca de um diagnóstico; Diagnóstico; e Mudanças no sistema familiar. Recorrer a vários serviços de saúde, esperar pelo diagnóstico e, por vezes, receber diagnósticos errados causaram sofrimento na família, que geralmente sentia-se negligenciada e impotente. Apesar de grande parte dos cuidadores avaliar a comunicação do diagnóstico como adequada, as reações dos cuidadores expressaram o choque surgido pela notícia. Nesse cenário, identificou-se uma maior união na maioria das famílias e mudanças de rotina e papéis, no sentido de adaptação à adversidade inesperada. Ressalta-se a importância de repensar as práticas de cuidado na rede de assistência oncológica, assegurando uma postura de acolhimento e vínculo, a partir da ótica da integralidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Lima Figueirêdo, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande/PB

Psicóloga, Especialista em Saúde Mental e Mestre em Psicologia da Saúde.
Endereço institucional: Universidade Estadual da Paraíba - R. Baraúnas, 351 - Universitário, Campina Grande - PB, 58429-500.

Sibelle Maria Martins de Barros, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande/PB

Psicóloga. Professora Doutora do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Saúde da UEPB. Membro do Grupo de Trabalho «Família e Comunidade», vinculado à Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia (ANPEPP).

Maria Angélica Carvalho Andrade, Departamento de Medicina Social, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, Espírito Santo

Doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/FIOCRUZ), Professora do Departamento de Medicina Social e do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Espírito Santo.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Lima Figueirêdo, B., Maria Martins de Barros, S., & Angélica Carvalho Andrade, M. (2020). DA SUSPEITA AO DIAGNÓSTICO DE CÂNCER INFANTOJUVENIL: A EXPERIÊNCIA DE FAMILIARES EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Nova Perspectiva Sistêmica, 29(67), 98-113. https://doi.org/10.38034/nps.v29i67.563
Seção
Artigos