Pelos caminhos do diálogo aberto: reflexões sobre aprender, praticar e formar profissionais no contexto da saúde mental no Brasil

  • Cecília Cruz Villares Instituto NOOS, São Paulo/SP
Palavras-chave: Diálogo aberto, Dialogia, Saúde mental, Aprendizado, Reflexão

Resumo

Este texto apresenta a abordagem do Diálogo Aberto a partir de reflexões e questões de meu percurso de aprendizado, prática e ensino em saúde mental. Utilizei como material de referência os artigos sobre o tema mais relevantes em meu percurso de formação, entrelaçados com anotações de aulas e workshops, diários reflexivos e rascunhos de projetos engavetados. Escrevi este texto tendo em mente o crescente interesse de profissionais brasileiros que atuam na área da saúde mental em conhecer os princípios do Diálogo Aberto, interesse este que parece refletir o reconhecimento da abrangência e relevância desta abordagem para as questões atuais do sistema de saúde mental em nosso país. Meu intento é tecer algumas considerações úteis para aqueles que desejam começar a conhecer o Diálogo Aberto, que tenham perguntas sobre como “tornar-se dialógico” na vida e na prática clínica, e queiram pensar como princípios dialógicos podem contribuir para as práticas correntes no campo da Saúde Mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cecília Cruz Villares, Instituto NOOS, São Paulo/SP

É terapeuta ocupacional pela FMUSP/SP; mestre em Saúde Mental pela Escola Paulista de Medicina da Unifesp. Associada efetiva e membro da Clínica do Instituto NOOS, São Paulo; Diretora-presidente da ABRE - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia, São Paulo/SP.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Villares, C. C. (2019). Pelos caminhos do diálogo aberto: reflexões sobre aprender, praticar e formar profissionais no contexto da saúde mental no Brasil. Nova Perspectiva Sistêmica, 28(65), 98-113. Recuperado de https://revistanps.com.br/nps/article/view/540
Seção
Artigos