Desenvolvimento de autoconhecimento e projeto de vida na Orientação Vocacional: um relato de caso

Palavras-chave: Orientação Vocacional, Adolescência, autoconhecimento, processos reflexivos

Resumo

A Orientação Vocacional (OV) quando realizada com adolescentes estimula o autoconhecimento, a formação de habilidades, competências e conhecimentos requeridos para a elaboração de projetos de vida, inclusive promove suporte psicológico a esses sujeitos que enfrentam diversos desafios nessa etapa do ciclo vital. Nesta direção, relata-se um caso de OV cujo participante foi um jovem de 22 anos, matriculado em um cursinho pré-vestibular público. A intervenção teve caráter informativo e formativo, foi subsidiada por epistemologias construtivistas e socioconstrucionistas, almejou o desenvolvimento do autoconhecimento e a facilitação da construção de projetos de vida. Ao longo dos sete encontros o orientando conseguiu se perceber em uma trama de relações sociais as quais influenciam a constituição de seu modo de ser. À guisa de conclusão, a estrutura da OV praticada reuniu elementos da ordem clínica e educacional, tais características favoreceram o desenvolvimento de recursos pessoais para o planejamento e execução do projeto de vida do participante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Tadeu Acuna, Programa de pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem, Universi-dade Estadual Paulista (UNESP), Bauru, SP

Psicólogo. Pedagogo. Mestre e doutorando em psicologia do desenvolvimento e aprendizagem. Atualmente desenvolve pesquisas em Psicologia Social, Psicologia Escolar e Educacional.

Referências

Acuna, J. T., & Feijó, M. R.(2019). Desenvolvimento do autoconhecimento em Orientação Profissional: possibilidades práticas. In: M. R. Feijó., E. G. Júnior.,D. C. Campos., H. F. Cardoso,, & M. L. Camargo. (orgs) Primeiros passos na atuação do psicólogo em orientação profissional e de carreira e psicologia organizacional e do trabalho. p.15-31 Araraquara: Letraria.

Acuna, J. T., Donegá, N. L., & Feijó, M. R. (2014). Construção de projeto de vida: conhecendo os determinantes da escolha. In M. R. Feijó., E. G. Junior., D. C. Campos., H. F. Cardoso,,& M. L. Camargo (orgs.). Experiências de formação em psicologia organizacional e do trabalho: práticas em gestão de pessoas, saúde do trabalhador e orientação profissional.p. 56-66. Bauru: Joarte

Acuna, J. T., Silva, N. R. da., & Camargo, M. L. (2013). Processo de orientação profissional do informativo ao formativo: contribuições da psicologia social sócio-histórica. In: D. C. Campos., E. G. Junior., & L. M. Camargo. (orgs). Trabalho e contextos organizacionais: práticas interventivas. p. 216-225. Bauru: Joarte.

Andrade, J. M. de., Meira, G. R. de. J. M., & Vasconcelos, Z. B. de. O processo de orientação vocacional frente ao século XXI: perspectivas e desafios. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 22,n. 3, p. 46-53.

Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Bock, A. M. B., & Aguiar, W. M. J. (1995). Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional. In: A.M.B. Bock. (Org.). A escolha profissional em questão. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Bock, S. D. (2014). Orientação profissional: a abordagem sócio-histórica. Cortez Editora.

Bohoslavsky, R. (1982). Orientação vocacional: A estratégia clínica. São Paulo, SP: Martins Fontes. (Original publicado em 1971).

Camargo, M. L., Feijó, M. R., Junior, G. E., Campos, D. C., & Cardoso, H. F. (2018). Experiências de estágio em Psicologia Organizacional e do Trabalho e Orientação Profissional: conexões entre teoria e prática no mundo do trabalho. Araraquara: Letraria.

Camps, C. I. C. D. M., Barcelos, T. F., & Vaisberg, T. M. J. A. (2014). Atendimento ser e fazer e escolha profissional: Estudo sobre eficácia clínica. Boletim de Psicologia, 64(140), 21-32.

Denborough, D., & Ncube, N. (2011). Atendendo crianças que vivenciaram traumas: a árvore da vida. Nova Perspectiva Sistêmica, 39, 92-101.

Dessen, M. A., Costa, J., & Áderson, L. (2005). A ciência do desenvolvimento humano: tendências atuais e perspectivas futuras. Artmed Editora.

Feijó, M. R., & Marra, C. (2004). Mapa das Redes Culturais: um instrumento para o trabalho com casais e famílias em contexto de migração. São Paulo: Via Lettera, v.1, n. 2, p. 27-42.

Frabetti, K, C., Thomazelli, C., Feijó, M. R., Camargo, M. L., & Cardoso, H. F. (2015). Práticas Narrativas e Orientação Profissional: a possibilidade de desconstrução de estereótipos ligados às profissões. Nova Perspectiva Sistêmica, v. 24, n. 53, p. 41-55.

Levenfus, R. S. (2016). A orientação vocacional em contextos clínicos e educativos. Porto Alegre: Artmed.

Levenfus, R. S.; Soares, D. H. P. (2009). Orientação vocacional ocupacional. 2° Ed. Porto Alegre: Artmed.

Müller, M. (1988). Orientação Vocacional: Contribuições clínicas e educacionais. Porto Alegre: Artes Médicas.

Noriega, J. A. V., Albuquerque, J. B. de J., Alvarez, F. L., Oliveira, L. M. S., & Coronado, G. (2002). Autoconceito em uma população do nordeste brasileiro. Revista PSICO, v. 33, n.1, p. 37-52.

Paixão, M., & Figueiredo, M. (1996). Trabalho e século XXI: you say goodbye, I say hello. Revista Resposta, no. 70, p.18-26.

Sousa, R. J. G. de., Feijó, M. R., Camargo, M. L., Campos, D. C., Junior, E. G., & Cardoso, H. F. Projeto de Extensão Universitária em Orientação Profissional (OP) para jovens: uma parceria entre universidade e instituição formadora de aprendizes. RAÍZES E RUMOS, v. 2, n. 2, p. 18, 2015.

Spaccaquerche, M. E., Fortim, I. (2009). Orientação profissional: passo a passo. São Paulo: Paulus.

Super, D. E., & Junior, M. J. B. (1980). Psicologia ocupacional. São Paulo: Atlas. ( Tradução de Esdras do Nascimento e Jair Ferreira dos Santos).

Veinstein, S. B. (1994). Gelvan de la eleccion vocional ocupacional – estrategias e tecnicas. Buenos Aires: Marymar.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.

Publicado
2021-04-28
Como Citar
Acuna, J. T. (2021). Desenvolvimento de autoconhecimento e projeto de vida na Orientação Vocacional: um relato de caso. Nova Perspectiva Sistêmica, 29(68), 91-104. https://doi.org/10.38034/nps.v29i68.518
Seção
Artigos