Uma intervenção com adolescentes em conflito com a lei a partir da construção do método de história de vida

  • Maria Inês Gandolfo Conceição
  • Maria Aparecida Penso
  • Liana Fortunato Costa
  • Teresa Cristina Othênio Carreteiro
Palavras-chave: adolescente em conflito com a lei, História de Vida, Sociodrama

Resumo

O texto apresenta uma proposta de utilização do método de História de Vida, adaptado para aplicação grupal, com adolescentes em conflito com a lei, visto como ferramenta para a reflexão sobre a trajetória da história de cometimento de atos infracionais. História de Vida é uma contribuição teórica e metodológica de Vincent de Gaulejac, que enfoca a narrativa da história de vida individual, como uma oportunidade para uma reflexão e reformulação de, na expressão do autor, destinos já traçados, bem como situa a história de vida no contexto sócio histórico de quem a conta. A proposta de intervenção grupal valeu-se de estratégias do Sociodrama para a emergência da espontaneidade, caracterizada por um protagonismo grupal. A produção grupal foi a história de vida do Lucas, personagem que reuniu aspectos das histórias de vida de cada adolescente, possibilitando que pudessem conscientizar uma modelagem social limitadora e repetitiva, imposta às subjetividades individuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Inês Gandolfo Conceição

Psicóloga

Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura da Universidade de Brasília. Brasília, DF, Brasil.

Maria Aparecida Penso

Psicóloga

Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Católica de Brasília. Brasília, DF, Brasil.

Liana Fortunato Costa

Psicóloga

Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura da Universidade de Brasília. Brasília, DF, Brasil.

Teresa Cristina Othênio Carreteiro

Psicóloga

Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal Fluminense. Niterói, RJ, Brasil.

Referências

BRASIL. Constituição Federativa da República do Brasil. Senado Federal, 1988.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Lei n. 8069 de 13 de Julho de 1990, 1990.

CARRETEIRO, T. C. O. Perspectivas da cidadania brasileira: entre as lógicas do direito, do favor e da violência. In: ARAÚJO, J. N. G. de; CARRETEIRO, T. C. (Orgs), Cenários Sociais e Abordagem Clínica. Belo Horizonte: FUMEC / Escuta, 2001. p. 155-168.

CARRETEIRO, T. C. Adolescências e experimentações possíveis. In: MARRA, M. M.; COSTA, L. F. (Orgs.), Temas da Clínica do adolescente e da família. São Paulo: Ágora, 2010. pp. 15-24.

CARVALHO, J. C. B. (2015). Trajetórias Marcadas: histórias de vida de adolescentes com vivência de acolhimento institucional. Tese de Doutorado, Programa de Pós Graduação em Psicologia e Clínica e Cultura, Universidade de Brasília. Brasília, DF.

CIDADES BRASILEIRAS – DF. Regiões Administrativas do DF, 2013. Disponível em: http://www.portalbrasil.net/brasil_cidades_brasilia_ras.htm Acesso em: 25 de julho de 1013.

CONCEIÇÃO, M. I. G. A Clínica do Adolescente em Meio Fechado? Olhares sobre o Contexto. In: MARRA, M. M.; COSTA, L. F. (Orgs.), Temas da Clínica do adolescente e da família. São Paulo: Ágora, 2010. pp. 87-103.

COSTA, L.F.; PENSO, M. A.; SUDBRACK, M. F. O.; JACOBINA, O. M. P. Adolescente em conflito com a lei: O Relatório Psicossocial como Ferramenta para Promoção do Desenvolvimento. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 16, n. 3, 379-389, 2011.

GAULEJAC, V. Honte et Pauvreté. Santé Mentale au Quebec, v. XIV, n. 2, p. 128-137, 1989

GAULEJAC, V.; RODRIGUEZ MARQUEZ, S.; TARACENA RUIZ, E. História de Vida. Psicoanálisis y Sociologia Clínica. México: Universidad Autónoma de Querétaro, 2005. 247 p.

GAULEJAC, V. O sujeito face à sua história: a démarche “Romance Familiar e Trajetória Social”. In: TAKEUTI, N. M.; NIEWIADOMSKI, C. (Orgs.), Reinvenções do sujeito social. Teorias e práticas biográficas. Porto Alegre: Sulina, 2009, p. 61-73.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL. Polícia Militar do Distrito Federal. 2011. Disponível em: http://www.pmdf.df.gov.br/?pag=historico. Acesso em: 12/09/2011

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/populacao_jovem_brasil/. Acesso em: 14 de agosto de 2015.

MARANGONI, G. Década perdida ou ganha? IPEA. Desafios do Desenvolvimento, v. 9, n. 72. 2012. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=2759:catid=28&Itemid=23 Acesso em: 25 de julho de 2013.

MARCELLI, D.; BRACONNIER, A. Manual de Psicopatologia do Adolescente. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989. 429 p.

MENEGAZZO, C. M.; TOMASINI, M. A.; ZURETTI, M. M. Dicionário de Psicodrama e Sociodrama. São Paulo: Ágora, 1995. 232 p.

MORENO, J. L. Psicodrama. São Paulo: Cultrix, 1984. 492 p.

MORENO, J. L. Psicoterapia de Grupo e Psicodrama. Campinas: Psy, 1993.

MOTTA, J. (Org.). O Jogo no Psicodrama. São Paulo: Ágora, 1995. 143 p.

PAIVA, V. Introdução: O debate sobre a juventude em conflito com a lei. In: PAIVA, V.; SENTO-SÉ (Orgs.), Juventude em Conflito com a Lei. Rio de Janeiro: Garamond, p. 9-15. 2007.

PENSO, M. A.; RAMOS, E. C.; GUSMÃO, M. O. Pai de Botas – Violência Intrafamiliar sofrida por adolescentes envolvidos em atos infracionais e com drogas. In: COSTA, L. F.; ALMEIDA, T. M. C. (Orgs.), Violência no Cotidiano. Do Risco à Proteção. Brasília: Universa/Liber Livro, p. 167-184. 2005.

PENSO, M. A.; RAMOS, E. C.; GUSMÃO, M. A Clínica do Adolescente em Medida Socioedutiva de Semiliberdade. In: MARRA, M. M.; COSTA, L. F. (Orgs.), Temas da Clínica do adolescente e da Família. São Paulo: Ágora, 2010. p. 105-118.

PENSO, M. A.; COSTA, L. F. Relações Possíveis entre a Psicologia e a Justiça na Atenção às Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência. In: AMPARO, D. M.; ALMEIDA, S. F. C.; BRASIL. K. T.; MARTY, F. (Orgs.), Adolescência e Violência. Teorias e Práticas nos Campos Clínico, Educacional e Jurídico. Brasília: Liber Livro / EdUnB, 2010. p. 229-251.

PENSO, M. A.; CONCEIÇÃO, M. I. G.; COSTA, L. F.; CARRETEIRO, T. C. O. O (des)cumprimento da lei: a proteção que ameaça. A polícia e o adolescente que cometeu ato infracional. In: PENSO, M. A.; CONCEIÇÃO, M. I. G.; COSTA, L. F.; CARRETEIRO, T. C. O. Jovens Pedem Socorro. O adolescente que praticou ato infracional e o adolescente que cometeu ofensa sexual. Brasília: Universa/Liber Livro, 2012.

ª VARA DA INFÂNCIA E JUVENTUDE DO DISTRITO FEDERAL/SETOR DE MEDIDAS SÓCIOEDUCATIVAS (1ª VIJ/SEMSE) (2011) – A Violência Policial na Voz dos Adolescentes em Conflito com a Lei Disponível em: http://www.tjdft.jus.br/trib/vij/vij_medida.asp Acesso em: 16 de maio de 2012.

SECRETARIA DE ESTADO DA CRIANÇA DO DISTRITO FEDERAL. Unidades de Atendimento em Meio Aberto (UAMAS), 2013. Disponível em: http://www.crianca.df.gov.br/subsis/gema-gerencia-de-prestacao-de-servicos-a-comunidade-e-liberdade-assistida/305.html Acesso em: 25 de julho de 2013.

SOUZA, J. (Org.) Ralé Brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

TAKEUTI, N. M. No outro lado do espelho. A fratura social e as pulsões juvenis. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002. 345 p.

TAKEUTI, N. M. Desafios da Abordagem Socioclínica e Biográfica no Contexto Sociocultural e Político Brasileiro. In: TAKEUTI, N. M.; NIEWIADOMSKI, C. (Orgs.), Reinvenções do sujeito social. Teorias e práticas biográficas. Porto Alegre: Sulina, 2009, p. 74-94.

UNICEF. Situação da Adolescência Brasileira, 2011. Disponível em: http://www.unicef.org/brazil/pt/br_sabrep11.pdf. Acesso em: 25 de julho de 2013.

UNICEF. Fundo das Nações Unidas para a Infância. 2015. Disponível em: http://www.unicef.org/brazil/pt/media. Acesso em: 14 de agosto de 2015.

WAISELFISZ, J. J. (Org.). Mapa da violência 2001: os jovens do Brasil. Instituto Sangari/Ministério da Justiça, 2011. Disponível em: www.mapadaviolência.org.br. Acesso em: 02 de abril de 2011.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2014. Os Jovens do Brasil. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2014/Mapa2014_JovensBrasil_Preliminar.pdf Acesso em: 28 de março de 2016.

Como Citar
Conceição, M. I. G., Penso, M. A., Costa, L. F., & Carreteiro, T. C. O. (1). Uma intervenção com adolescentes em conflito com a lei a partir da construção do método de história de vida. Nova Perspectiva Sistêmica, 25(55), 46-63. Recuperado de https://revistanps.com.br/nps/article/view/135
Seção
Artigos