Nova Perspectiva Sistêmica https://revistanps.com.br/nps <p>Leia a revista Nova Perspectiva Sistêmica!</p><p>ISSN da revista impressa: 0104-7841</p><p>ISSN da revista on-line: 2594-4363</p> CFH-UFSC / Editora Noos-SP pt-BR Nova Perspectiva Sistêmica 0104-7841 <span>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</span><br /><br /><ul><li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado simultaneamente sob uma <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank">Licença Creative Commons Attribution</a> após a publicação, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</li></ul><br /><ul><li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li></ul><br /><ul><li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_blank">O Efeito do Acesso Livre</a>).</li></ul> Editorial https://revistanps.com.br/nps/article/view/489 Adriano Beiras Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 4 5 O estado da arte: construcionismo social e a performance terapêutica no Brasil https://revistanps.com.br/nps/article/view/495 <p><span>Este estudo de revisão propôs o mapeamento da produção de artigos científicos referentes à clínica psicoterápica construcionista social. A partir do método bibliográfico denominado “Estado da arte”, foi realizado um levantamento de artigos científicos publicados na plataforma virtual Biblioteca Virtual de Saúde – Psicologia (BVS-PSI) e <em>Scientific Electronic Library Online </em>(SciELO). Obteve-se como resultado a coleta de 09 artigos que, posteriormente à leitura na íntegra, foram organizados em 03 eixos temáticos: abordagens teóricas, narrativas sobre o terapeuta e o conceito de <em>self</em>. Esse processo de estudo evidenciou a orientação do construcionismo social para a constituição de uma prática clínica colaborativa em que o terapeuta atua de maneira reflexiva, dialógica e engajada.</span></p><p> </p><p>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a01</p> Taffarel Ramires Fernandes Vinícius Amarante Nascimento Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 6 19 "O menino e a abóbora”: a arte de um encontro https://revistanps.com.br/nps/article/view/502 <p><span>Neste artigo, a partir da prática terapêutica, a autora relata a busca de um embasamento teórico para a compreensão de um atendimento no qual se obteve resultados surpreendentes em prazo muito curto, partindo de uma postura do “não saber”. Descreve sobre seu processo vivencial de reflexão, suas conversas internas ao longo do atendimento de um casal com uma criança que havia recebido uma suposição de diagnóstico psiquiátrico feito pela orientadora escolar. Sua preocupação foi a respeito dos efeitos desse diagnóstico na dinâmica da família. As referências teóricas baseiam-se em diversos autores que conversam com o Construcionismo Social, as Práticas Colaborativas e o trabalho com as ressonâncias da família e da terapeuta.</span></p><p><span><br /></span></p><p><span>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a02</span></p> Marcia Zalcman Setton Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 20 31 Narrativas de homens viúvos diante da experiência de luto conjugal https://revistanps.com.br/nps/article/view/497 <p>Neste artigo é apresentada uma pesquisa qualitativa que visou à compreensão das narrativas de homens viúvos vivenciando luto conjugal. Foram entrevistados três homens que se encontravam na época da perda em um momento específico do ciclo vital da família. Utilizou-se a entrevista qualitativa em profundidade e na organização dos dados foram utilizados os procedimentos de codificação da Teoria Fundamentada. Foram destacadas três categorias temáticas que constituem as dimensões da experiência de luto conjugal: ‘Dizer olá novamente’, ‘Deixar ir’ e ‘Seguir em frente’. As narrativas produzidas possibilitaram aos enlutados a reconstrução do seu sistema de significados em duas direções: manter viva a relação que tinham com a esposa e construir novos significados para o <em>self</em>, tendo em vista o papel de progenitor viúvo em um ambiente familiar e social em transformação.</p><p> </p><p>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a03</p> Ivania Jann Luna Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 32 46 As violências sofridas por mulheres que ofenderam sexualmente https://revistanps.com.br/nps/article/view/498 <p><span>O objetivo deste texto é apresentar e discutir histórias das várias vitimizações sofridas pela ofensora sexual do gênero feminino, buscando contribuir para os atendimentos psicossociais. Trata-se de um recorte de pesquisa desenvolvida em parceria entre uma instituição pública e uma universidade pública, e a opção metodológica foi a pesquisa documental, com a obtenção das informações retiradas diretamente do registro contido nos prontuários da instituição. As participantes foram cinco mulheres com idades entre 19 e 52 anos que receberam</span><span> atendimento psicossocial após encaminhamento de serviços de justiça e saúde, durante o primeiro semestre de 2018.</span><span> Os resultados apontam histórias de intenso sofrimento vividas por essas mulheres que tiveram início muito precocemente na infância, sendo contínuas, permanentes, com várias facetas: física, abandono, negligência, vivência de rua, violência sexual. Ainda ocorreram mortes, separações e ruptura de vínculos afetivos, grandes mudanças e desvinculações do ambiente. A vivência dessas várias violências trouxe consequências graves para o desenvolvimento da afetividade e estabelecimento e manutenção de relações vinculares. Esses resultados são coincidentes com a literatura internacional. O aspecto analisado nesse texto necessita ser considerado em qualquer programa de intervenção psicossocial ou clínico com essas mulheres.</span></p><p><span><br /></span></p><div><span>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a04</span></div> Cassia de Freitas Teixeira Passarela Lucy Mary Cavalcanti Stroher Liana Fortunato Costa Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 47 60 O atendimento psicológico ao adolescente e o caráter terapêutico da orientação de pais: estudo de caso em terapia sistêmica individual https://revistanps.com.br/nps/article/view/499 <p><span>Esse artigo apresenta o estudo de caso de um atendimento psicoterapêutico realizado com uma adolescente e sua família, com base na terapia sistêmica individual. O objetivo é mostrar como a terapia sistêmica pode ser realizada com crianças e adolescentes de modo individual, incluindo também a família no formato de orientação de pais. Metáforas, perguntas circulares e jogos terapêuticos foram utilizados ao longo do atendimento, realizado em sessões individuais com a adolescente e sessões de orientação de pais. As sessões individuais e sessões de orientação de pais mantiveram o foco na dinâmica relacional do grupo familiar e suas ressonâncias no desenvolvimento da adolescente, destacando aspectos da complexidade, instabilidade e intersubjetividade presente na relação pais e filhos.</span></p><p><span><br /></span></p><p><span>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a05</span></p> Etiene Oliveira Silva de Macedo Analice de Sousa Arruda Vinhal Carvalho Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 61 81 Intervenção psicossocial com adolescentes que cometeram ofensa sexual e suas famílias: o grupo multifamiliar https://revistanps.com.br/nps/article/view/500 <p><span>Este artigo apresenta um relato de experiência sobre uma intervenção psicossocial, de Grupo Multifamiliar (GM), junto a adolescentes que cometeram ofensa sexual. Práticas como esta são uma maneira de garantir proteção às vítimas e diminuição da probabilidade de reincidência. É necessário que haja responsabilização jurídica e atendimento psicossocial para os autores de violência, conforme prevê o Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Participaram da intervenção 10 famílias, que se encontraram durante sete sessões, totalizando 21 horas de intervenção grupal. Discutiu-se os seguintes temas: proteção, sexualidade, abuso sexual é crime, transgeracionalidade, autoestima e projeto de namoro e de futuro. O GM oferece aos adolescentes e suas famílias o contexto e os instrumentos para a ampliação do espaço de conversação, orientação parental, reflexão, acolhimento do sofrimento de todos e promoção da saúde. Isto porque enfoca as potencialidades; valoriza os vínculos afetivos, papéis filiais e parentais; e reconhece o momento de busca de autonomia do adolescente e a consequente necessidade de aceitação dessa fase do desenvolvimento por parte dos pais (ou cuidadores que exercem esse papel). Após o término do GM, avaliou-se a necessidade de adolescentes serem encaminhados para a rede de proteção, em relação às vulnerabilidades presentes.</span></p><p><span><br /></span></p><p><span>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a06</span></p> Andrea Schettino Tavares Neulabihan Mesquita e Silva Montenegro Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 82 104 O conceito de Ressonâncias no processo de formação do terapeuta: descobrindo potencialidades e limitações na prática terapêutica https://revistanps.com.br/nps/article/view/501 <p><span>O conceito de ressonância utilizado pela Teoria Sistêmica no âmbito clínico compreende sentimentos mobilizados diante do que é abordado no espaço terapêutico. Tais sensações podem tanto contribuir para imobilizar o sistema (cliente e terapeuta), quanto servir como um potente recurso ao terapeuta, dependendo, portanto, da implicação e postura do psicólogo frente às ressonâncias. Desse modo, buscou-se trazer questões relacionadas ao seu uso como recurso, além de tratar da importância das ressonâncias na formação do terapeuta. Por fim, alguns casos foram expostos a fim de elucidar como as ressonâncias surgiram na prática clínica da autora e do grupo do qual faz parte, assim como entre os indivíduos que foram atendidos.</span></p><p><span><br /></span></p><p><span>http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632019v28n64a07</span></p> Giovania Mitie Maesima Monica Barreto Adriano Beiras Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 105 118 Cafarnaum https://revistanps.com.br/nps/article/view/494 Adriana Mattos Fráguas Janice Rechulski Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 119 121 Contribuições e implicações da perspectiva dialógica: o self do(a) terapeuta na terapia familiar/casal https://revistanps.com.br/nps/article/view/493 Anita da Costa Pereira Machado Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 122 126 O paraíso são os outros https://revistanps.com.br/nps/article/view/492 Janice Rechulski Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 127 128 Viajando em novas histórias https://revistanps.com.br/nps/article/view/491 Cristina Ruffino Maria Gabriela Mantaut Leifert Copyright (c) 2019 Nova Perspectiva Sistêmica 2019-10-03 2019-10-03 28 64 129 134