A paternidade e fatores associados ao envolvimento paterno

Mariana Schubert Backes, Ana Paula Sesti Becker, Maria Aparecida Crepaldi, Mauro Luís Vieira

Resumo


No cenário atual, pode-se observar uma mudança nos papéis desempenhados pelos pais e mães na interação com seus filhos. A paternidade, por exemplo, passou a ser alvo das pesquisas científicas recentemente, tendo em vista a maior participação do pai na vida dos filhos. Dessa forma, esta pesquisa teve como objetivo identificar os fatores que interferem no envolvimento paterno de pais (homens) de crianças entre quatro a seis anos. Trata-se de um estudo exploratório descritivo, de natureza qualitativa, cujos dados foram coletados através de uma entrevista semiestruturada, a qual foi analisada pela técnica da análise de conteúdo categorial temática, utilizando-se o software Atlas.ti. Da análise das entrevistas emergiram quatro categorias: Vivência da paternidade; Responsabilidade; Interação pai-filho e Fatores que interferem no envolvimento paterno. Neste artigo serão apresentados os resultados da última categoria, por estarem diretamente relacionados com o objetivo deste estudo. Os resultados apontam que o modelo de paternidade que os participantes tiveram de seus próprios pais, além das relações que estabelecem com a mãe da criança, as características pessoais dos pais e dos filhos e, ainda, a rede de apoio que possuem, constituíram-se em aspectos que repercutiram no envolvimento paterno.

DOI http://dx.doi.org/10.21452/2594-43632018v27n61a04


Palavras-chave


pai; paternidade; envolvimento paterno; criança; família

Texto completo:

PDF

Referências


Andolfi, M., Claudio, A., & Saccu, C. (1995). O casal em crise. São Paulo: Summus.

Backes, M. S. (2015). A relação entre o envolvimento paterno e a abertura ao mundo em pais de crianças entre quatro a seis anos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Balancho, L. S. F. (2004). Ser pai: Transformações intergeracionais na paternidade. Análise Psicológica, 2(22), 377-386.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bolze, S. D. A. (2011). A relação entre engajamento paterno e conflito conjugal dos pais com crianças de 4 a 6 anos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Bolze, S. D. A. (2016). Táticas de resolução de conflitos conjugais e parentais: Uma perspectiva da transmissão intergeracional. Tese de Doutorado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Bornholdt, E. A., Wagner, A., & Staudt, A. C. P. (2007). A vivência da gravidez do primeiro filho à luz da perspectiva paterna. Psicologia Clínica, 19(1), 75-92.

Bossardi, C. N. (2011). Relação do engajamento parental e relacionamento conjugal no investimento com os filhos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Bossardi, C. N., Gomes, L., Vieira, M. L., & Crepaldi, M. A. (2013). Engajamento paterno no cuidado a crianças de 4 a 6 anos. Psicologia Argumento, 31(73), 237-246.

Bouchard, G. (2012). Intergenerational Transmission and Transition to Fatherhood:

A Mediated-Moderation Model of Paternal Engagement. Journal of Family Psychology, 26 (5), 747-755.

Bueno, R. K. (2014). Relações entre envolvimento paterno com filhos adotivos e estrutura familiar. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Bueno, R. K. & Vieira, M. L. (2014). Análise de estudos brasileiros sobre o pai e o desenvolvimento infantil. Psicologia Argumento, 32(76), 151-159.

Bustamante, V. & Trad, L. A. B. (2005). Participação paterna no cuidado de crianças pequenas: Um estudo etnográfico com famílias de camadas populares. Cadernos de Saúde Pública, 21(6), 1865-1874.

Cabrera, N. J. & Bradley, R. H. (2012). Latino Fathers and Their Children. Child Development Perspectives, 6 (3), 232-238.

Cabrera, N. J., Tamis-LeMonda, C. S., Bradley, R. H., Hofferth, S., & Lamb, M. E. (2000). Fatherhood in the twenty-first century. Child Development, 71(1), 127-136.

Cia, F., Pamplin, R. C. O., & Williams, L. C. A. (2008). O impacto do envolvimento parental no desempenho acadêmico de crianças escolares. Psicologia em Estudo, 13(2), 351-360.

Davies, P. T., Cummings, E. M., & Winter, M. A. (2004). Pathways between profiles of family functioning, child security in the interparental subsystem, and child psychological problems. Development and Psychopathology., 16, 525-550.

D’Avila-Bacarji, K. M. G., Marturano, E. M., & Elias, L. C. S. (2005). Suporte parental: um estudo sobre crianças com queixas escolares. Psicologia em Estudo, 10(1), 110-115.

Dessen, M. A. & Ribeiro, M. O. (2013). Envolvimento Paterno Durante o Nascimento dos Filhos: Pai "Real" e "Ideal" na Perspectiva Materna. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26 (1), 184-192.

Dubeau, D., Devault, A., & Paquette, D. (2009). L'engagement paternel, un concept aux multiples facettes. In D. Dubeau, A. Devault, & G. Forget (Eds.), La paternité au XXI sièle (pp. 71-98). Québec, CAN: Les Presses de l'Université Laval.

Fagundes, A. J. F. M. (1999). Descrição, definição e registro de comportamento (12a ed.). São Paulo: Edicon.

Falceto, O. G, Fernandes, C. L., Baratojo, C., & Giugliani, E. R. J. (2008). Fatores associados ao envolvimento do pai nos cuidados do lactente. Revista Saúde Pública, 42(6), 1034-1040.

Ferreira, S. L. G. & Triches, M. A. (2009). O envolvimento parental nas instituições de educação infantil. Revista Pedagógica(Chapecó), 11(22), 39-55.

Flick, U. (2009). Uma introdução à pesquisa qualitativa (3a ed.) Porto Alegre: Artmed.

Gabriel, M. R. & Dias, A. C. G. (2011). Percepções sobre a paternidade: Descrevendo a si mesmo e o próprio pai como pai. Estudos de Psicologia, 16(3), 253-261.

Genesoni, L. & Tallandini, M. A. (2009). Men’s psychological transition to fatherhood: An analysis of the literature, 1989– 2008. Birth, 36(4), 305-318.

Gergen, K. J., & Gergen, M. (2010). Construcionismo social: um convite ao diálogo. Rio de Janeiro: Noos.

Goetz, E. R. & Vieira, M. L. (2009). Percepções dos filhos sobre aspectos reais e ideais do cuidado parental. Estudos de Psicologia (Campinas), 26(2), 195-203.

Gomes, L. B. (2015). Envolvimento parental, desenvolvimento social e temperamento de pré-escolares: um estudo comparativo em Santa Catarina e Montreal. Tese de Doutorado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Grandesso, M. (2000). Sobre a reconstrução do significado: uma análise epistemológica e hermenêutica da prática clínica. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Grzybowski, L. S. & Wagner, A. (2010). O envolvimento parental após a separaçã-o/divórcio. Psicologia: Reflexão e Crítica, 23(2), 289-298.

Lamb, M. E. (Org.). (1997). The role of the father in child development. New York: John Wiley & Sons.

Lamb, M. E. (2000). The history of research on father involvement: an overview. In H. E. Peters, G. W. Peterson, S. K. Steinmetz, & R. D. Day (Eds.), Fatherhood: research, interventions and policies (pp. 23-42). Nova York: Haworth Press.

Lamb, M. E., Frodi, M., Hwang, C., & Frodi, A. (1983). Effects of paternal involvement for mothers and fathers. Child Development, 54(2), 450-458.

Lamb, M. E., Pleck, J. H., Charnov, E. L., & Levine, J. A. (1985). Paternal behavior in humans. American Zoologist, 25(3), 883-894.

Matos, M. G., Magalhães, A. S., Féres-Carneiro, T., & Machado, R. N. (2017). Construindo o vínculo pai-bebê: a experiência dos pais. Psico-USF, 22(2), 261-271.

McBride, B. A., Brown, G. L., Bost, K. K., Shin, N., Vaughn, B., & Korth, B. (2005). Paternal identity, maternal gate keeping, and father involvement. Family Relations, 54(3), 360-372.

Monteiro, L., Fernandes, M., Veríssimo, M., Costa, I. P., Torres, N., &, Vaughn, B. E. (2010). Perspectiva do pai acerca do seu envolvimento em famílias nucleares. Associações com o que é desejado pela mãe e com as características da criança. Revista Interamericana de Psicologia, 44(1), 120-130.

Oliveira, J. L. A. P. (2017). O envolvimento paterno no contexto do divórcio/separação conjugal. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Paquette, D. (2004). Le rôle du père dans la capacité du garçon à gérer son agressivité. Revue de psychoéducation, 33(1), 61-73.

Paraventi, L., Bittencourt, I. G., Schulz, M. L. C., Souza, C. D. de, & Vieira, M. L. (2017). A percepção de pessoas sem filhos sobre a função paterna. Psico, 48(1), 1-11.

Piccinini, C. A., Levandowski, D. C., Gomes, A. G., Lindenmeyer, D., & Lopes, R. S. (2009). Expectativas e sentimentos de pais em relação ao bebê durante a gestação. Estudos de Psicologia (Campinas), 26(3), 373-382.

Pimenta, M., Veríssimo, M., Monteiro, L., & Costa, I. P. (2010). O envolvimento paterno de crianças a frequentar o jardim de infância. Análise Psicológica, 4(28), 565-580.

Pleck, J. H. (1997). Paternal involvement: levels, sources and consequences. In M. E. Lamb (Ed.), The role of the father in child development (pp. 66-103). New York: John Wiley & Sons.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. P. B. (2013). Metodologia de pesquisa. Porto Alegre: Penso.

Schober, P. S. (2012). Paternal child care and relationship quality: A longitudinal analysis of reciprocal associations. Journal of Marriage and Family, 74(2), 281-296.

Schoppe-Sullivan, S. J., Brown, G. L., Cannon, E. A., Mongelsdorf, S. C., & Szewczyk S. M. (2008). Maternal gate keeping, coparenting quality and fathering behavior in families with infants. Journal of Family Psychology, 22, 389-398.

Schmidt, B. (2012). Relacionamento conjugal e temperamento de crianças com idade entre quatro e seis anos. Dissertaçao de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia,Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Silva, M. R. & Piccinini, C. A. (2007). Sentimentos sobre a paternidade e o envolvimento paterno: um estudo qualitativo. Estudos de Psicologia, 24(4), 561-573.

Simões, R., Isabel, L., & Maroco, J. (2010). Paternal involvement in a group of fathers of elementary school children. Psicologia, Saúde & Doenças, 11(2), 339-356.

Souza, C. L. C. & Benetti, S. P. (2009). Paternidade contemporânea: levantamento da produção acadêmica no período de 2000 a 2007. Paidéia, 19(42), 97-106.

Staudt, A. C. P. & Wagner, A. (2008). Paternidade em tempos de mudança. Psicologia: Teoria e Prática, 10(1), 174-185.

Turcotte, G. & Gaudet, J. (2009). Conditions favorables et obstacles à l'engagement paternel: un bilan des connaissances. In D. Dubeau, A. Devault, & G. Forget (Eds.), La paternité au XXI sièle (pp. 39-70). Québec, CAN: Les presses de l`Université Laval.

Wagner, A. Predebon, J., Mosmann, C., & Verza, F. (2005). Compartilhar Tarefas? Papéis e funções de pai e mãe na família contemporânea. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 21(2), 181-186.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

A revista Nova Perspectiva Sistêmica é publicada pelo Instituto Noos São Paulo.

Está indexada por Latindex, DOAJ, Clase, BVS-PSI, PePSIC e MIAR Universitat Barcelona, tem conceito B3 no Qualis.