Performance e identidade: apontamentos para uma apreciação estético-relacional do desenvolvimento

Murilo dos Santos Moscheta

Resumo


A Psicologia, enquanto projeto científico que emerge na modernidade, produziu um conjunto de teorias sobre desenvolvimento que valorizaram a ideia de indivíduo e identidade. Neste texto, discuto algumas possibilidades de considerar a identidade a partir da contribuição de autores pós-modernos. Para isso, retomo as contribuições de Lois Holzman que articula a teoria da atividade de Lev Vygotsky e a dialética marxista na construção de um modelo de desenvolvimento que rompe com a noção de um sujeito que evolui a partir e ao redor de uma identidade. A proposta pós-moderna de compreensão do desenvolvimento transgride a separação ciência/arte, e assume o caráter performático da identidade. Neste sentido, o texto busca refletir sobre algumas possibilidades de pensar o desenvolvimento por um viés estético articulando-o com as noções de criação, processo e improvisação.

Palavras-chave


pós-modernidade; identidade; desenvolvimento; performance; psicologia

Referências


Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2008). Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar.

Beiras, A. (2008). Família, Conjugalidade e Utopias: Reflexões sobre um Mundo Hipermoderno. Nova Perspectiva Sistêmica, 32, 65–72.

Camargo-Borges, C. (2011). Terapia Social: Desenvolvimento Humano e Mudança Social. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 62(3), 48-58.

Gergen, K. (1991). The saturated self?: dilemmas of identity in contemporary life. New York: Basic Books.

Goldberg, P., & Newman, F. (1996). Performance of a Lifetime: A Practical-Philosophical Guide to the Joyous Life (1st ed.). New York: Castillo International.

Hall, S. (2006). A identidade cultural na pós-modernidade (11th ed.). São Paulo: DP&A.

Holzman, L. (2006). Activating postmodernism. Theory & Psychology, 16(1), 109–123.

Holzman, L. (2009). Vygotsky at work and play. New York: Routledge.

Holzman, L. (Ed.). (1999). Performing Psychology: A Postmodern Culture of the Mind. New York: Routledge.

Holzman, L., & Mendez, R. (Eds.). (2003). Psychological Investigations: A Clinician’s Guide to Social Therapy (1st ed.). New York: Routledge.

Law, J. (2004). After Method: Mess in Social Science Research. New York: Routledge.

Meireles, C. (2002). Os Melhores Poemas de Cecília Meireles. São Paulo: Global.

Mota, M. E. (2005). Psicologia do Desenvolvimento: uma perspectiva histórica. Temas em Psicologia, 13(2), 105–111.

Rosa, J. G. (2001). Grande sertão?: veredas (20th ed.). Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

A revista Nova Perspectiva Sistêmica é publicada pelo Instituto Noos São Paulo.

Está indexada por Latindex, DOAJ, Clase, BVS-PSI, PePSIC e MIAR Universitat Barcelona, tem conceito B3 no Qualis.